Uma população mobilizada pela Laís

imagem-de-capa

Uma campanha de financiamento coletivo só tem chance de sucesso com a ajuda de várias pessoas mobilizadas e engajadas. Esse é um dos principais mandamentos para quem deseja atingir a meta de sua vaquinha online. Mas a campanha da Laís foi além. Mobilizou uma cidade inteira!

Lais Poersch, uma jovem de 24 anos moradora da cidade de Feliz/RS, prestes a cursar o último semestre de medicina veterinária recebeu uma notícia que ninguém quer receber: foi diagnosticada com Adenocarcinoma de Intestino Delgado, um tumor raro que acomete a primeira porção do intestino. Durante o tratamento, Laís recebeu a sugestão de realizar um tratamento diferente que poderia ajudar a curá-la. O problema era o custo altíssimo.

Aquele momento foi um dos mais difíceis. A família da Laís dificilmente conseguiria bancar o tratamento. Com isso, ela começou a buscar formas para juntar esse dinheiro, onde pudesse, de alguma forma, mobilizar os amigos e familiares.

Foi aí que ela lembrou de uma colega de faculdade tinha compartilhado uma campanha de vaquinha de um rapaz que também lutava contra o câncer – Lucas Brasileiro. O rapaz precisava de 100 mil para a cirurgia e conseguiu arrecadar o valor em poucos dias!

Laís se informou sobre o site do Vakinha, estudou campanhas similares e combinou com a sua família que lançaria a campanha às 18h daquele dia. Depois de muita dedicação, surgiu a campanha “Cura da Lali”.

lali-capa-post-blog

Ela desenvolveu toda comunicação da sua vaquinha de uma forma que pudesse se diferenciar das demais: apesar da causa ser bastante sensível, o texto da vaquinha não seria apelativo. Ela preferiu uma estratégia mais bem humorada, buscando deixar a lamentação de lado. Muitos amigos apoiaram esta decisão, dizendo que se o texto fosse muito triste, as pessoas não se sentiriam motivadas a colaborar. Ao invés disso, ela buscou mostrar as coisas boas que ela havia feito e passado até aquele momento. E funcionou! A maioria dos doadores elogiaram essa abordagem.

Em questão de horas, com a ajuda dos amigos próximos, as redes sociais dela já estava sendo inundado de mensagens de apoio e compartilhamentos. Facebook e Whatsapp não paravam de apitar. Os amigos próximos deram lugar aos “amigos dos amigos”. Até o ponto da campanha começar a receber doações de pessoas que ela não conhecia.

E não ficou só por isso. A campanha cresceu ainda mais!

Os amigos, decididos a ajudar, resolveram organizar eventos na cidade como forma de arrecadar ainda mais para ajudar a campanha. Fizeram rifas, um café colonial especial (que contou com apoio da prefeitura da cidade!), um festival de cervejas e bandas em um bar, entre outras atividades.

Laís afirma que se envolveu no começo, mas depois, como teve que começar o tratamento, contou apenas com a motivação e o engajamento dos seus amigos que tocaram todos os eventos com dedicação e amor. Em questão de dias, toda a cidade estava mobilizada para ajudá-la. Em mais alguns dias, a população de cidades vizinhas também começaram a participar.

A exposição começou a chamar a atenção da mídia. Rádios e jornais de vários lugares começaram a ligar! E pessoas formadoras de opinião começaram a se envolver para ajudar. Dos 150 mil reais traçados como meta, a campanha da Laís arrecadou incríveis 130 mil, com a ajuda de 1.829 pessoas.

Botão crie sua vaquinha

O que podemos aprender com a campanha da Laís?

1) Mobilize seus amigos e familiares. A Laís só conseguiu mobilizar quase 2 mil pessoas porque lá no começo os amigos deram um suporte muito forte pra ela. As campanhas de maior sucesso são aquelas em que familiares e amigos estão engajados desde o início.

2) Faça um texto bacana e motivador. No caso da campanha dela, ao invés de implorar ajuda, ela tentou demonstrar a pessoa que era, o que ela já havia feito e o que poderia fazer com a recuperação. Um texto nessa linha causa empatia e sensibiliza as pessoas.

3) A mídia vai ajudar, mas só se você fizer a sua parte. A maioria das pessoas sonha que jornais, rádios, televisão, etc. irão se sensibilizar pelas suas histórias. Mas a verdade é que você só conseguirá chamar a atenção da mídia se fizer a sua parte, ou seja, se sua campanha tiver um propósito legal e estiver mobilizada entre a sua rede.

4) Crie uma página e eventos no Facebook. Essa é uma dica tão simples, mas que ajuda muito. Crie uma página no Facebook da sua campanha onde você pode manter as pessoas atualizadas dos acontecimentos, além de postar seus pedidos de doações. Os eventos no Facebook também ajudam a reforçar essa mobilização.

Botão crie sua vaquinha

 

Crie sua Vaquinha

2 comments: On Uma população mobilizada pela Laís

  • Realmente muito bom este post! Conteúdo Relevante!
    Gostei bastante do site, vou ver se acompanho toda semana suas postagens.
    Trabalho pela internet a alguns anos com meu blog de decoração e adoro
    tudo referente ao assunto. Sei que o assunto não é decoração mas adoro
    saber novidades em diferentes nichos e áreas. Obrigada

Deixe uma resposta:

Seu endereço de email não será publicado.

rodapé do site